Já que não se pode lutar contra o destino… passeemos por Birmingham!

Quis o acaso que cruzássemos aquela passadeira em Birmingham ao mesmo tempo. O destino tem coisas curiosas: numa questão de segundos é capaz de separar primos e pô-los a viver em países diferentes, apenas para os voltar a juntar mais tarde quando menos se espera. Eu e o meu primo Carlos. Encaramo-nos surpreendidos, e alheios à multidão que passa por nós, abraçamo-nos entre risos. Refeitos da surpresa, decidimos não perder mais tempo: existe algo melhor do que colocar a conversa em dia a passear?

Juntamos portanto, o útil ao agradável. Eu aproveito uma visita guiada, oferecida por um emigrante que conhece a cidade como a palma da mão, e o meu primo tira partido da minha companhia para me mostrar alguns dos seus sítios preferidos. Como adorei as sugestões, listo algumas em seguida, caso mais alguém queira dar um pulinho a Birmingham e desfrutar da sua estadia tanto quanto eu.

1) Biblioteca de Birmingham

Ler, com vista desimpedida para a cidade de Birmingham? Sim, é possível! Na inauguração desta biblioteca, Malala Yousafzai (a menina paquistanesa que sobreviveu a um atentado talibã) disse: “Não nos esqueçamos que um livro, uma caneta, ou um professor podem salvar o mundo”. E como se quisesse dar razão às vozes que dizem que não precisamos de superpoderes para realizar feitos heróicos, a Biblioteca de Birmingham (a maior do Reino Unido) alberga um verdadeiro manancial de conhecimento, um memorial dedicado a Shakespeare, e no seu último andar ainda nos oferece um belo jardim, onde podemos ler na companhia de uma vista panorâmica do outro mundo.

2) Jewellery Quarter

O nome deste bairro em português seria ‘Quarteirão de Jóias’. É a maior concentração deste tipo de comércio na Europa e deste modo, é imperdível para os apaixonados que desejem surpreender a sua cara-metade com um anel de noivado ou simplesmente, para os amantes de joalharia. Destaco o ex-líbris do local, a torre de relógio Chamberlain Clock erguida em honra de um ilustre político inglês, antigo morador do bairro.

3) Praça Victoria

Como não podia deixar de ser, na praça principal da cidade não podia faltar uma estátua em honra à rainha que lhe empresta o nome. Em volta, espreitam dois dos edifícios mais importantes de Birmingham: o Town Hall (sala de concertos cuja construção foi inspirada num templo romano), e o City Council (câmara municipal).

4) Museum and Art Gallery

Visitar um museu que é também uma galeria de arte, é sempre uma mais-valia. E se uma só visita nos conceder a oportunidade de ver de perto colecções de cerâmica, joalharia, arqueologia ou etnografia de várias partes do mundo, para além de nos dar a conhecer um pouco mais sobre a história de Birmingham, melhor ainda.

5) The Mailbox e Bullring

O que não faltam em Birmingham são centros comerciais mas provavelmente, estes são os mais icónicos. O Bullring é facilmente identificado pela quantidade de pessoas que aproveita para tirar uma fotografia ao lado da estátua em forma de touro que guarda a sua entrada, bem como pelos milhares de discos que cobrem a fachada da cadeia de lojas Selfridges.

Por sua vez, o The Mailbox destaca-se por albergar a sede da BBC Birmingham, e pela estrutura arquitetónica de um dos edifícios do complexo: o The Cube assemelha-se a uma caixa de jóias e o seu design criativo reflecte o passado secular de Birmingham em ourivesaria.

6) Catedral de São Filipe

O jardim desta igreja é o ponto de encontro dos habitantes da cidade e sobretudo, em dias de sol, é comum ver estendidas toalhas de piquenique. Mesmo para aqueles que não são religiosos, a catedral de estilo barroco merece uma visita, quer pelos belos vitrais arco-íris que emprestam luz ao seu interior, quer pelo fabuloso órgão do século XVIII.

7) Pubs

Não sendo eu uma apreciadora de bares, devo mencionar que não fiquei indiferente aos pubs pitorescos espalhados pela cidade. Alguns foram remodelados a partir de instituições bancárias antigas, como é o caso do The Old Joint Stock: a cúpula de vidro e os bustos que decoram as arcadas do tecto conferem-lhe o charme típico de um banco do século XIX, e é o local perfeito para terminar a noite entre amigos.

8) Gas Street Basin

Birmingham foi o berço da revolução industrial em Inglaterra, e os canais que outrora permitiram o transporte de mercadorias ainda a atravessam (diz-se inclusivamente, que têm mais quilómetros do que os de Veneza). Gas Street Basin é o coração desta rede de canais, onde podemos aproveitar uma das muitas embarcações típicas para ficar a conhecer a cidade de outro ângulo, ou jantar à beira da água quando as luzes de Birmingham começam a iluminar o final do dia.

É neste ponto que terminamos o nosso passeio, na altura em que os habitantes da cidade trocam os fatos de trabalho pelas fardas do jogging. Na despedida, o meu primo deixa-me uma proposta de visita, da qual usufruo no dia seguinte: Aston Hall, um palácio rural do século XVII que me surpreende com um buraco de bala de canhão na sua escadaria principal, e com histórias de fantasmas que o assombram.

O meu tempo em Birmingham termina sem que tenha oportunidade de estar com o meu primo novamente e lhe agradeça pessoalmente por esta última sugestão. Terá de ficar para outra ocasião… talvez, na próxima vez que o destino nos pregar uma partida e nos voltemos a encontrar sem data nem hora marcada, numa qualquer passadeira deste planeta gigante.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s